Home>Brasil>Itaipu: A pedra que canta!

Itaipu: A pedra que canta!

 Fizemos a visita técnica a Itaipu Binacional. Uma gigante da engenharia projetada pelo Brasil e Paraguai para gerar energia aos dois países. Esta é uma grande oportunidade para entender a infraestrutura e potencial energético do nosso país.

Confesso que não me animei muito em visitar a Itaipu Binacional no começo do planejamento do nosso roteiro de viagem. Porém, pelo conhecimento que envolve a empresa e depois de ler várias outras experiências, decidimos fazer a visita técnica à Usina. E o resultado foi muito além do esperado.

Para começar, é incrível observar a infraestrutura empregada para transformar a Itaipu em realidade. Ficamos impressionados com todos os estudos técnicos, a engenharia usada e todo o conhecimento que fez, hoje, da Itaipu a segunda maior usina de produção de energia do mundo – e por muito tempo ficou em primeiro lugar.

Ao chegar ao local da visita (fomos com carro alugado) estacionamos o veículo – pagamos 20 reais – e nos dirigimos à recepção dos passeios. Optamos por fazer a compra no site, com agendamento do horário. Chegando lá, mostramos o número do protocolo e logo nos foi dado os crachás de acesso e os ingressos.

Um guia direciona você e o grupo o qual você fará parte para uma sala com fotos e maquetes da Usina. Lá você vai esperar pelo filme institucional da empresa. Onde te apresentarão como funciona a Itaipu em termos de geração de energia, o significado do nome – em guarani, “a pedra que canta”- e um pouco da parceria entre Brasil e Paraguai para poder tornar este sonho em realidade. Aliás, visitando Itaipu, você estará entre a fronteira destes dois países, algo que é bem dividido até nas funções da empresa. Os empregados são das duas nacionalidades, na sala de controle (foto do topo) há uma linha imaginária que divide a empresa ao meio e que os trabalhadores devem ser metade paraguaios e metade brasileiros. Do lado paraguaio, a língua principal usada nas placas é o Espanhol, no lado brasileiro, o Português. Até nisso eles pensaram!

Dentro da Itaipu, o visitante se desloca de ônibus

Tivemos a sorte de chegar lá e ver as comportas abertas. Dá para perceber a força da água passando pelas gigantes comportas de concreto construídas. Depois disso, o guia nos levou aos vários mirantes da Usina, onde apreciamos a gigante construção e toda sua estrutura.

Comportas abertas – mais um show.

 

Em seguida a hora é de visitar Itaipu internamente e conhecer como funciona lá dentro. Os visitantes colocam capacetes de proteção e seguem.

O fim do passeio é ir até uma das turbinas que geram a energia. Um exemplar da força com que gira para produzir a energia que consumimos em grande parte do Brasil e em todo território paraguaio. A sensação final é de que há uma empresa que foi um dos maiores sucessos da engenharia no Brasil.

Turbina a todo vapor

 

Algumas observações antes de ir:

– O preço do ingresso para este passeio custou R$ 74,00 por pessoa (março de 2016).

– Idade mínima para visitar a Usina é de 14 anos;
– É obrigatório o uso de calçados fechados, sem salto, e de roupas com comprimento abaixo do joelho;
– É proibido entrar com bolsas, mochilas ou sacolas. Se necessário, há armários para aluguel; (se estiver com carro, deixe estes materiais no porta-mala).
– É permitido levar máquinas fotográficas, filmadoras e pertences pessoais, como óculos, celular, carteira, chaves, etc;
– O roteiro do Circuito Especial inclui, além da visita ao interior da usina, os mesmos pontos de parada da Visita Panorâmica.
– Optamos pela Visita Técnica, mas há vários outros passeios pela Usina que podem interessar vários públicos, confira as opções.

Mapa:

——————————————————————————————————–

Nós te ajudamos com esta postagem?
Então siga o Próximo Embarque nas Redes Sociais e ajude a divulgar o nosso trabalho compartilhando este conteúdo. 
Toda nossa obra é oferecida gratuitamente aos leitores que buscam auxílio diariamente.

[Facebook] [Instagram] [Twitter] [Youtube]

Thiago Inter
Thiago Inter é jornalista de TV, já atuou em Assessoria de Comunicação, adora produzir documentários, fotografia e percorrer o mundo. Nascido em Brasília, DF, o jornalista já documentou muitas de suas andanças para ajudar outras pessoas. Para ele, uma aventura é sempre bem-vinda e a melhor viagem é a próxima, esperando sempre pelo próximo embarque.
http://www.proximoembarque.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *