Home>Europa>Europa de trem na primeira classe: um pouco a mais e muito conforto!

Europa de trem na primeira classe: um pouco a mais e muito conforto!

Primeira classe: o sonho distante da maioria dos viajantes não é ostentação quando o assunto é viagem de trem pela Europa! O transporte, bastante popular entre moradores e turistas do Velho Mundo, é a melhor alternativa para se percorrer pequenas distâncias.

Primeiro porque dá para transitar de um país para o outro sem ter que passar novamente pela imigração (a não ser que seu destino seja o Reino Unido ou a Irlanda – países que não assinaram o Tratado de Schengen).

Depois porque, dependendo do lugar, o trem passa por paisagens cinematográficas ou cidadezinhas bem interessantes. E se isso não bastasse você ainda tem a comodidade de chegar na estação praticamente na hora do embarque (dando adeus às longas filas do check-in nos aeroportos).

Em algum lugar da Alemanha próximo de Berlim…

Mas tem uma coisa que ninguém te conta: o quanto é melhor viajar de trem na primeira classe! Só quem já passou pela experiência dá valor à essa quantia paga a mais! E olha que nem é tanto assim. Um upgrade para o vagão especial sai, em média, por 80 euros.

Pode até parecer muito quando fazemos a conversão da moeda mas só de saber que vamos ficar várias horas sentados naquela cabine apertada, sem poder, sequer, esticar a perna, já vale cada centavo! E as vantagens não param por aí.

Além de ser mais confortável você não corre o risco de passar da estação de desembarque se o seu destino não for o ponto final. Tudo porque na primeira classe existem letreiros luminosos identificando as paradas e o tempo de viagem até cada uma delas.

Esse monitor localizado no teto indica os horários e quais são as próximas paradas do trem.

Os passageiros da classe especial contam, ainda, com lavatórios exclusivos, poltronas reclináveis, luz de leitura individual, WI-FI e mesas para lanche (detalhe: o menu não é tão variado e a comida é paga, ok? Nada exorbitante. Cerveja + Sanduíche por 10 euros).

Detalhes que fazem a diferença, principalmente se você estiver há dias percorrendo o velho continente ou se acabou de chegar à Europa e passou pela via sacra das conexões…

Pode parecer frescura mas a poltrona reclinável da primeira classe faz toda a diferença!

No nosso caso estávamos exaustos de tanto andar por Paris (ficamos 10 dias na Cidade Luz) e por Viena (passamos 5 dias na belíssima capital austríaca) e, por isso, optamos pela passagem diferenciada.

Mesmo porque, em 2010, viajamos de trem na primeira classe e foi ótimo. Na ocasião, encararmos um percurso de quase 13 horas de Paris à Florença. Trajeto extremamente cansativo que, sem dúvida, se tornou bem mais agradável por ter sido feito na primeira classe.

Fazer um lanchinho, com tranquilidade e curtindo a vista, é uma das alegrias de viajar na primeira classe…

E foi o que fizemos dessa vez de Viena à Berlim. Nesse caso o trem compensou demais porque, apesar da viagem ser longa (cerca de 9 horas) não fomos direto de um ponto ao outro.

Compramos o nosso bilhete dois meses antes do embarque no site da alemã Deutsche Bahn, uma das companhias de transporte ferroviário mais importante da Europa.

Pagamos 70 euros em cada ticket e ganhamos, de graça, um stopover de 48 horas em Praga!

Compramos as passagens de trem no site da alemã Deutsche Bahn, mas existem lojas da companhia em várias estações.

Como tínhamos tempo de sobra (25 dias de férias) decidimos, portanto, incluir essa cidade no trajeto, reduzir o tempo da viagem Viena-Berlim e aproveitar as mordomias da primeira classe.

E, antes que você pergunte: sim, foi incrível conhecer a capital da República Tcheca! E a parada, além da significativa relevância histórica, foi estratégica.

Serviu para dividir o tempo da viagem ao meio (quebrando um pouco esse batidão de embarque-desembarque) e o melhor: pudemos conhecer lugares importantes, como a Catedral de São Vito (a mais bela que já visitamos), o cemitério judeu (considerado o mais antigo da Europa) e a Sinagoga Pinkas (a mais antiga em funcionamento no Velho Mundo).

Fachada da Catedral de São Vito. Essa maravilha fica dentro do Castelo de Praga.
A Catedral de São Vito, em Praga, foi a mais bela que já conhecemos até hoje na Europa.

Mas cuidado: o trem, como já disse, é a melhor opção para viagens curtas. Por isso, pela Europa, dependendo do roteiro, viajar de avião também pode ser uma mão na roda! De Paris para Viena, por exemplo, optamos pelo transporte aéreo para não perdermos tanto tempo viajando.

Se tivéssemos ido de trem gastaríamos 13 horas e pagaríamos em torno de 200 euros por pessoa. De avião fizemos o trajeto Paris-Viena em apenas 2 horas e gastamos (na classe econômica) 70 euros com cada passagem.

O mesmo fizemos na volta, de Berlim para Paris. Saiu mais barato e bem mais rápido voltar para a França de avião.

No aeroporto de Berlim, Alemanha, aguardando nosso próximo embarque… Pela distância, valeu ir para Paris de avião!

Vai por mim: ainda que você queira saber como é viajar na primeira classe fuja do trem se você vai enfrentar uma viagem superior a 6 horas! Nesses casos, normalmente, comprar passagem de avião é bem mais interessante! Vai sair mais barato e você não vai passar tanto tempo no trajeto.

Outra coisa: encarar o trem noturno nunca é bom, nem na primeira classe! Esqueça essa ideia que os filmes passam de ser algo glamouroso, quase mágico… A experiência está longe disso já que trem é um transporte barulhento que para em muitas estações, onde sobem e descem várias pessoas. Motivos suficientemente grandes para não te deixar dormir durante a viagem.

Esqueça, vai ser quase impossível você conseguir dormir bem num trem…

Sem falar que viajando de trem noturno, provavelmente, você vai acabar chegando cedo demais ao seu destino. Ou seja, vai ter que esperar um tempão pelo check-in do hotel, que, normalmente, só é realizado depois do meio-dia.

E por falar em descer do trem, uma última dica valiosa! Se essa será a sua primeira vez viajando nesse tipo de transporte fique atento ao desembarque. As paradas durante o trajeto costumam ser bem rápidas, menos de cinco minutos de duração.

Portanto, faltando 10 minutos para a sua parada a nossa recomendação é que você pegue as suas coisas e se dirija para a porta de saída mais próxima.

Enquanto a sua parada não chega, uma dica: curta a vista! Você vai se surpreender com belíssimos quadros, como essa paisagem registrada durante nossa viagem para Berlim.

——————————————————————————————————–
Nós te ajudamos com esta postagem?
Então siga o Próximo Embarque nas Redes Sociais e ajude a divulgar o nosso trabalho compartilhando este conteúdo. 
Toda nossa obra é oferecida gratuitamente aos leitores que buscam auxílio diariamente.


[Facebook] [Instagram] [Twitter] [Youtube]

Mariana Bontempo
Jornalista com pós-graduação em cinema e formada também em gastronomia. Adora experimentar viagens e os pratos típicos de cada região, uma cozinheira por vocação. Profissional atuante em Televisão por mais de 20 anos, nasceu em Belo Horizonte e agora se aventura pelas ruas e redações de Brasília. Ela é produtora de conteúdo do nosso site com textos, fotos e vídeos de nossas aventuras.
http://www.vidadecozinheiro.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *