10/01/2014

Vivendo a História em Ouro Preto e Mariana

O Próximo Embarque chegou em Minas Gerais para conhecer o que o Estado tem de História, Cultura, Gastronomia, Turismo Religioso e Arte. Fomos conhecer as duas cidades históricas mais famosas da região, onde se vive narrativas de grandes ícones do nosso país. Entre heróis da Pátria, a artistas consagrados pelo tempo.






Minas Gerais respira História. São séculos de formação do Estado que deixou uma herança muito rica para todos nós, brasileiros. Um patrimônio da humanidade que conta como foi a vida de heróis da Inconfidência, artistas consagrados, como Aleijadinho, entre muitos outros momentos nesta linha do tempo.

Visitar Ouro Preto é reviver tudo que você aprendeu nos livros didáticos. Museus tentam manter viva a história de Minas Gerais, além disso, a própria cidade continua a contar seu passado pela própria riqueza da arquitetura.

Na chegada ao distrito de Amarantina, uma primeira decepção. Queríamos conhecer o Museu das Reduções, famoso pelas peças em miniatura. Mas estava fechado. Aliás, um reflexo do abandono do Governo de Minas Gerais com o patrimônio cultural do Estado. Vários museus passam por uma crise. Por lá, encontramos uma placa com o aviso de fechado, sem mais ninguém para explicar o porquê. Fomos embora, quem sabe um dia visitaremos novamente e, assim, deixamos nossa impressão por aqui. =(


Partimos então deixando o Distrito de Amarantina, para o centro da cidade de Ouro Preto. Alguns lugares valem o destaque.

Museu da Inconfidência: Foi construído em 1785 para ser Câmara e cadeia. Hoje virou um museu com obras de Aleijadinho, além de um rico material dos tempos da Inconfidência, como manuscritos, documentos, peças, entre outros. Destaque para a sentença de morte contra o Tiradentes, manuscrito.



Museu do Pilar: Fica na Matriz do Pilar, tem obras de Aleijadinho e várias peças da Arte Sacra.

Museu Aleijadinho: Fica na Matriz da Nossa Senhora da Conceição, mais arte sacra em peças em pedra-sabão, destaque para a imagem de São Francisco de Paula, obra atribuída a Aleijadinho.

Casa dos Contos: Casa restaurada e atualmente pertence ao Ministério da Fazenda. Lá existe uma senzala onde viveram escravos do período colonial, com exposição de peças usadas pelos escravos e que remontam a história da época. No lugar, o poeta da época colonial Cláudio Manuel da Costa foi encontrado enforcado, como o poeta tinha "mente aberta" demais para sua época e tinha até ligações com o Iluminismo, não se sabe ao certo se ele foi assassinado ou se suicidou. Informações sobre sua morte são obscuras.

Casa Guignard: Lugar onde morou um dos artistas mais importantes de Minas Gerais do século XX, Alberto da Veiga Guignard. Lá você vai encontrar as peças feitas pelo artistas, pinturas que retratavam a vida mineira (destaque para Ouro Preto) e outras artes. Hoje é considerado o museu com maior galeria exposta do artista no Brasil. De tão importante, existe a Escola Guignard em Belo Horizonte, que forma artistas de vários segmentos.



Ouro Preto também conta com atrações turísticas naturais, como cachoeiras e trilhas. Ou seja, passear na cidade vai muito além da arquitetura colonial portuguesa, museus e igrejas. =)

Rumo a Mariana...

A 14 km de Ouro Preto, fica outra cidade histórica que precisa ser visitada. Mais tranquila, com ar de cidade do interior, está Mariana. Com a mesma característica das cidades históricas como casarios, arquitetura e igrejas, a cidade entra no nosso roteiro pela curiosidade de conhecer um pouco mais da História.

Bem menor que Ouro Preto, Mariana é mais simples de caminhar e tem um roteiro de atrações mais fáceis de visitar. Mas não perde na História. A cidade foi a primeira vila e capital de Minas Gerais. Começou a ser fundada no século XVII por bandeirantes em busca de ouro. O nome foi uma homenagem à rainha Maria Ana de Áustria. Daí a junção para Mariana. =)

Praça Minas Gerais: reúne as igrejas do Carmo, de São Francisco, o Pelourinho e a Casa da Câmara e Cadeia. É praticamente o centro da cidade, onde estas três construções chamam atenção pela arquitetura perfeita e a manutenção das características da época.




Igrejas: Como toda tradicional cidade de colônia portuguesa, Mariana não poderia ser exceção na rota do turismo religioso e arquitetônico das igrejas. Algumas delas, são as mais importantes e antigas construções de todo Estado. Vale destacar a Catedral na Praça da Sé, onde fica o Órgão Arp Schnitger. Um objeto de valor inestimável. São pelo menos 19 Igrejas em todo município.

Praça Gomes Freire: Um dos pontos de encontro da cidade. Lugar agradável que recebe diversos eventos, feiras, etc. O espaço era muito usado para eventos religiosos na época colonial.

Seminário São José: Um lugar grandioso mas difícil de visitar, por se tratar de um lugar de meditação. Com construção do século XX, bem mais atual, mas não menos interessante.

Mina da Passagem: Um dos lugares que os turistas mais visitam e que é mais recomendado. Eu fiquei de fora desta vez, a intensa chuva do final do ano me atrapalhou um pouco, mas há relatos de que é praticamente viver a história da exploração do ouro no interior das montanhas de Minas Gerais.

Maria Fumaça: Fui até a estação de Mariana mas estava fechada. Tem passeio com horários fixos de Ouro Preto a Mariana (ida e volta). Apesar de estar previso funcionamento nos finais de semana, o local estava fechado e sem fazer o trajeto entre as cidades. O lugar para visitação também estava fechado, sem ninguém para dar informações.


Curta o Próximo Embarque no Facebook: facebook.com/ProximoEmbarque

0 comentários:

Postar um comentário

Copyright © 2014 Próximo Embarque | Designed With By Blogger Templates
Scroll To Top
UA-66365035-1